sábado, 17 de julho de 2010

Apenas porque senti vontade de dizer...

Aprendendo de novo a ter prazer nas coisas simples da vida.


Às vezes, em nossas vidas, passamos por momentos de tristezas, decepções e sutilmente somos acometidos de um sentimento de desânimo tão forte, que simplesmente pensamos que a vida, bem como as pessoas, não valem a pena e passamos a não enxergar mais aquilo que antes, facilmente, nos deixava em paz com nós mesmos e nos enchia de alegria.

Ontem saí para jantar na casa do André... Fazia tanto tempo que não me divertia tanto assim, e com coisas tão simples. Uma roda de amigos, vinho, um caldo quente (neste frio, perfeito!), violãozinho, boa compania e muitas risadas.

Talvez você esteja se perguntando por que resolvi escrever sobre algo tão corriqueiro... E a minha resposta é mais fácil ainda: PORQUE AS MELHORES COISAS DA VIDA ESTÃO NA SIMPLICIDADE E EM UM LUGAR ONDE A GENTE MENOS ESPERA!

Se por um tempo conseguíssemos desviar o foco dos nossos problemas e prestarmos atenção naquilo que de fato possuímos, estes momentos únicos e que por vezes passam tão despercebidos para nós, não haveria o porquê desanimar.

Abaixo apenas uma música que “tocamos” ontem e que me fez perceber que tenho deixado muita coisa para trás...



Aquarela

Toquinho
Composição: Toquinho / Vinicius de Moraes / G.Morra / M.Fabrizio

Numa folha qualquer
Eu desenho um sol amarelo
E com cinco ou seis retas
É fácil fazer um castelo...

Corro o lápis em torno
Da mão e me dou uma luva
E se faço chover
Com dois riscos
Tenho um guarda-chuva...

Se um pinguinho de tinta
Cai num pedacinho
Azul do papel
Num instante imagino
Uma linda gaivota
A voar no céu...

Vai voando
Contornando a imensa
Curva Norte e Sul
Vou com ela
Viajando Havaí
Pequim ou Istambul

Pinto um barco a vela
Brando navegando
É tanto céu e mar
Num beijo azul...

Entre as nuvens
Vem surgindo um lindo
Avião rosa e grená
Tudo em volta colorindo
Com suas luzes a piscar...

Basta imaginar e ele está
Partindo, sereno e lindo
Se a gente quiser
Ele vai pousar...

Numa folha qualquer
Eu desenho um navio
De partida
Com alguns bons amigos
Bebendo de bem com a vida...

De uma América a outra
Eu consigo passar num segundo
Giro um simples compasso
E num círculo eu faço o mundo...

Um menino caminha
E caminhando chega no muro
E ali logo em frente
A esperar pela gente
O futuro está...

E o futuro é uma astronave
Que tentamos pilotar
Não tem tempo, nem piedade
Nem tem hora de chegar

Sem pedir licença
Muda a nossa vida
E depois convida
A rir ou chorar...

Nessa estrada não nos cabe
Conhecer ou ver o que virá
O fim dela ninguém sabe
Bem ao certo onde vai dar

Vamos todos
Numa linda passarela
De uma aquarela
Que um dia enfim
Descolorirá...


ENJOY YOUR LIFE, PORQUE INEVITÁVELMENTE UM DIA... DESCOLORIRÁ!

Bom final de semana...

0 comentários:

Postar um comentário

Olá! Obrigada por deixar um comentário para mim. Isso incentiva e alimenta o blog.

 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios