domingo, 6 de junho de 2010

Número 06

E às vezes você sabe qual é a coisa certa e qual a errada, mas vai lá e continua fazendo tudo igual.

É que você sabe que existe o intervalo entre o que você quer e o que outro pode dar.

Mas é que às vezes o passo gigantesco de um é pouco, menor, incipiente ou qualquer outra coisa esquisita que possa dizer qualquer outra palavra.


Alma 1: ele gosta de mim, mas tem um jeito estranho, q eu não gosto

Alma 2: ahhh, mas cada um tem seu jeito de amar, resta saber se o jeito dele é suficiente para vc

Alma 1: não é.


As pessoas são como são. Ou a gente aceita e prossegue com elas, ou não aceita e prossegue sem elas. Por que é tão difícil agir assim? É que às vezes você sabe qual é a coisa certa e qual a errada, mas vai lá e continua fazendo tudo igual. E você sabe que existe o intervalo entre o que você quer e o que outro pode dar...

É que às vezes a gente sonha, quer mais. E não sabe se isso vem da fantasia que aprendeu nas novelas ou de um desejo bobo e quase incontaminado de que um dia também virá amparada de príncipe(s).

Queria aconselhar, mas eu não sei nem pra mim... Talvez eu devesse dizer "abandone o campo antes do eclodir da tormenta", mas é que às vezes eu mesma quero banhos de chuva... e imploro furacões, já que eles também moram dentro da gente.

(Então paguemos os riscos. Com o sim ou com o não.)

ELENITA RODRIGUES

0 comentários:

Postar um comentário

Olá! Obrigada por deixar um comentário para mim. Isso incentiva e alimenta o blog.

 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios