domingo, 6 de junho de 2010

Número 04


O que acontece quando você pega alguém a quem você quer muito bem na mais (im)perfeita mentira?


Parece que se quebram em torno dela meia centena de espelhos... que iluminam! Reflexão mais brega, eu sei.

Mas é que desapontamento é uma coisa, tão ruim e ao mesmo tempo tão libertadora, que não consigo pensar em qualquer outra imagem que não seja a da sua expectativa em pedaços... enfim.

Acho que muitas vezes só o que é necessário é transparência. Trans-aparência, sabe? Transparência que vem pelo jeito de olhar nos olhos, mas que vem acompanhada de um modo de agir e se expresar em atitudes, que atravessem a aparência. Isso é difícil, é?

Não que a outra pessoa tenha obrigação de fazer qualquer coisa, mas honestidade é o mínimo?

Lá venho eu com as minhas filosofias de novo. Mas, no fundo, o problema maior deve ser bem nosso mesmo que esperou mais de alguém do que a integridade desse alguém poderia oferecer. Somos todos imperfeitos, não?

Mas é que eu acho que a gente espera do outro algumas coisas que oferece na gente. (Soa meio como burrice, i know...)

Meu jeito brusco e direto de ser já me rendeu inúmeros desafetos, mas eu ainda não aprendi a ser polida ou falsamente diplomática. Pra mim, sinceridade é uma virtude, e formalidades podem ir todas para a puta que o pariu.

Isso quer dizer que se eu quiser outra coisa, se pensar outra coisa, se preferir outra coisa, você vai saber. Se te desaprovar, você vai saber. Talvez isso seja até falta de inteligência. E, em larga medida, é. Mas prefiro ser considerada rude a passar por leviana, mentirosa ou duas-caras. What you see is what you get. O que vc enxerga é o que eu sou. Acho que é esse comportamento que define uma das características de mais caráter nessa vida pra mim.

Me engane uma vez, vergonha pra você. Me engane duas vezes, vergonha pra mim. Hoje, a vergonha é pra mim. Mas cada um é o que é e como é. E de idiota nessa vida só continuam nos fazendo se a gente permitir.

Bye, bye, adios, au revoir, so long, hasta la vista, baby. From now on, a sua mentira é um problema totalmente seu.

ELENITA RODRIGUES

0 comentários:

Postar um comentário

Olá! Obrigada por deixar um comentário para mim. Isso incentiva e alimenta o blog.

 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios