terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

Procura-se um novo amor, com cheirinho de roupa nova!

Já estou de volta a minha cidade. Na verdade cheguei ontem, mas foi tão corrido que só consegui postar agora!
Eu adoro vijar ouvindo música, eu literalmente "viajo"... Nem vejo a estrada passar.
E desta vez vim ouvindo Roupa Nova. É antigo, mas é clássico. Simples e sofisticado.
Já repararam como as músicas deles provocam uma sensação diferente? Bom, em mim pelo menos me dá uma coisa tão boaaaa....
Não sei, uma paz, suspiro sem nem ao menos estar apaixonada (cof cof).
E eu estava percebendo como a maioria das músicas não fala daquele amor dolorido, do tipo, "eu te quero, você não me quer, você me enganou", sabe? rs...
E acho que eu nunca senti este tipo de amor. Um amor que faz bem, que não dói sentir, que trás paz, calma e felicidade. Ou seja, acho que nunca amei, pois quando é amor não machuca, não faz doer.
Percebi que estou louca pra sentir isso, amar e ser amada. Ter motivos para sorrir, ficar com aquela sensação de plenitude por saber que no final do dia, alguém que sente o mesmo por ti, te espera de braços abertos e com o melhor sorriso.
Andar de mãos dadas... Serem cúmplices, parceiros, amigos, amantes... Tudo em uma só pessoa!
Conversar, rir, desabafar, beijar, amar...
Não quero um amor de cinema (mesmo porque isso não existe), mas quero um amor digno de uma bela canção.


Enfim,
PROCURO UM NOVO AMOR, COM CHEIRO DE ROUPA NOVA!




Amar É
Roupa Nova
Composição: Cleberson Horsth - Ricardo Feghali


Amar!
É quando não dá mais prá disfarçar
Tudo muda de valor
Tudo faz lembrar você
Amar!
É a lua ser a luz do seu olhar
Luz que debruçou em mim
Prata que caiu no mar

Suspirar sem perceber
Respirar o ar que é você
Acordar sorrindo
Ter o dia todo prá te ver

O amor é um furacão
Surge no coração
Sem ter licença prá entrar
Tempestade de desejos
Um eclipse no final de um beijo
O amor é estação
É inverno, é verão
É como um raio de sol
Que aquece e tira o medo
De enfrentar os riscos
Se entregar...

Amar!
É envelhecer querendo te abraçar
Dedilhar num violão
A canção prá te ninar

Suspirar sem perceber
Respirar o ar que é você
Acordar sorrindo
Ter o dia todo prá te ver...

O amor é um furacão
Surge no coração
Sem ter licença prá entrar
Tempestade de desejos
Um eclipse no final de um beijo
O amor é estação
É inverno, é verão
É como um raio de sol
Que aquece e tira o medo
De enfrentar os riscos
Se entregar...

1 comentários:

Isa disse...

E acho que eu nunca senti este tipo de amor. Um amor que faz bem, que não dói sentir, que trás paz, calma e felicidade. Ou seja, acho que nunca amei, pois quando é amor não machuca, não faz doer. (( Disse tudoo ))

Postar um comentário

Olá! Obrigada por deixar um comentário para mim. Isso incentiva e alimenta o blog.

 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios